| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Infonline Chopotó!
Desde: 13/04/2009      Publicadas: 92      Atualização: 15/11/2011

Capa |  Artesanatos e outras artes  |  Cadastramento de notícias  |  Cipotânea - Fatos & Fotos  |  Congada  |  Descobertas  |  economia  |  Escolas  |  Espaço e ideias  |  fatos & contos  |  História da Regiäo Xopotó  |  Mande sua notícia  |  Política e Projetos!  |  Reconhecimentos geografia etcs


 economia

  28/05/2009
  1 comentário(s)


Candiando bois na festa do milho!Para os moradores de Cipotânea e cidades vizinhas, candieiro é um menino (em raras exceções meninas) que anda na frente dos bois na canga para guiá-los.

Para os moradores de Cipotânea e cidades vizinhas, candieiro é um menino (em raras exceções meninas) que anda na frente dos bois na canga para guiá-los. Portanto, diria que candieiro é uma profissão para crianças. Sendo assim, homem grande que candeia boi é homem preguiçoso ou homem que nunca teve promoção na carreira.
As pessoas que moram na cidade (como por exemplo Cipotânea) não tinham muita idéia do que era um candieiro. A partir da primeira festa do milho em Cipotânea, a carreira infantil desconhecida tornou-se motivo para festejar.

Candiando bois na festa do milho!Para os moradores de Cipotânea e cidades vizinhas, candieiro é um menino (em raras exceções meninas) que anda na frente dos bois na canga para guiá-los.
Já no início deste curto capítulo, vou logo definindo o que é um candieiro. Se você tiver acesso à internet e um pouco de curiosidade verá que nada se encontra quando se digita a palavra candieiro em uma das várias ferramentas de busca virtual. É isto, eu acho que candieiro não significa mesmo muita coisa, e até acho que isto é coisa para criança de 5 a 12 anos. Para os moradores de Cipotânea e cidades vizinhas, candieiro é um menino (em raras exceções meninas) que anda na frente dos bois na canga para guiá-los. Portanto, diria que candieiro é uma profissão para crianças. Sendo assim, homem grande que candeia boi é homem preguiçoso ou homem que nunca teve promoção na carreira.
As pessoas que moram na cidade (como por exemplo Cipotânea) não tinham muita idéia do que era um candieiro. A partir da primeira festa do milho em Cipotânea, a carreira infantil desconhecida tornou-se motivo para festejar. O candieiro ganhou destaque, lá estava ele na frente dos bois pelas ruas afora durante o desfile de carros de boi. Lá estão os meninos de pernas curtas com chapeuzinho na cabeça e quichute nos pés. Ao mesmo tempo, os candieiros continuam injustiçados, porque quem brilha e até ganham prêmios são as rainhas do milho. Meninas de rostos bonitos e lindos vestidos, enfeitados com ornamentos da planta do milho.
Para falar a verdade, a profissão do candieiro ainda é completamente desconhecida, até mesmo pelos organizadores da famosa festa do milho. E até hoje, até onde sei, nada há de escrito sobre esta profissão de crianças. Tentarei neste capítulo ser o mais fiel possível com a realidade desta profissão, usando palavras que não se encontra no Aurélio, muito menos em outra língua estrangeira. Tentei explicar para um colega alemão o que é um candieiro, fiz um esforço tremendo para que ele pudesse ativar sua fantasia e entender esta profissão. Depois de conversarmos mais de meia hora ele concluiu dizendo: "Candieiro é uma profissão para iniciantes. É o menor cargo que se pode assumir lá em Cipotânea, não é verdade?". É isto, talvez ele tenha me entendido. Mas para minha surpresa, minutos depois ele me perguntou: "Trabalho infantil no Brasil é legal?". Novamente, ele tinha razão. Trabalho infantil é ilegal, também no Brasil.
Não estou aqui para defender direitos humanos, para isto existe até profissionais formados. Mas eles, estão sempre ocupados lá na cidade grande cuidando dos problemas grandes. Os candieiros, são desconhecidos, não merecem a atenção nem da professora do pré-primário, muito menos do pessoal dos direitos humanos.
Hoje em dia tem até trator em Cipotânea, mas o principal meio de transporte de carga é ainda o carro de boi. Sobre o carro de boi também não existem muitos escritos, mas é uma coisa antiga trazida pelos nossos colonizadores, os portugueses. Lá na Brejaúba conheci um candieiro que me contou a sua história (acho que deveria escrever estória, porque afinal, candieiro não merece ter uma História)





Capa |  Artesanatos e outras artes  |  Cadastramento de notícias  |  Cipotânea - Fatos & Fotos  |  Congada  |  Descobertas  |  economia  |  Escolas  |  Espaço e ideias  |  fatos & contos  |  História da Regiäo Xopotó  |  Mande sua notícia  |  Política e Projetos!  |  Reconhecimentos geografia etcs
Busca em

  
92 Notícias